Coruche: o Céu, a Terra e os Homens


A exposição que aqui partilhamos conta a história de Coruche desde os tempos mais remotos, tendo por base o conceito de sagrado. O nosso lado mais espiritual. As nossas crenças, a nossa relação com o transcendente, com o divino… Mas o que é o Sagrado para as gentes de Coruche, para a gentes deste território, deste concelho?

Alberto Luiz Lopes - mostra documental


Ao contrário da crença popular, o Lorem Ipsum não é simplesmente texto aleatório. Tem raízes numa peça de literatura clássica em Latim, de 45 AC, tornando-o com mais de 2000 anos. Richard McClintock, um professor de Latim no Colégio Hampden-Sydney, na Virgínia, procurou uma das palavras em Latim mais obscuras (consectetur) numa passagem Lorem Ipsum, e atravessando as cidades do mundo na literatura clássica, descobriu a sua origem. Lorem Ipsum vem das secções 1.10.32 e 1.10.33 do "de Finibus Bonorum et Malorum" (Os Extremos do Bem e do Mal), por Cícero, escrito a 45AC. Este livro é um tratado na teoria da ética, muito popular durante a Renascença. A primeira linha de Lorem Ipsum, "Lorem ipsum dolor sit amet..." aparece de uma linha na secção 1.10.32.

O pedaço mais habitual do Lorem Ipsum usado desde os anos 1500 é reproduzido abaixo para os interessados. As secções 1.10.32 e 1.10.33 do "de Finibus Bonorum et Malorum" do Cícero também estão reproduzidos na sua forma original, acompanhados pela sua tradução em Inglês, versões da tradução de 1914 por H. Rackham.

LInk para a xposição

Tauromaquia de Coruche - História, Arte, Tradição


A exposição que aqui se apresenta é um esboço da história da tauromaquia de Coruche.
 

António Luiz Lopes - cavaleiro tauromáquico


No passado dia 20 de outubro o auditório do Museu Municipal de Coruche foi pequeno para acolher as dezenas de pessoas, oriundas de vários pontos do país, que quiseram assistir à apresentação, por João Teles Branco, do mais recente livro de Clara Macedo Cabral, “A inglesa e o marialva: um amor na arena”. Uma história verídica passada nos anos sessenta do século XX, onde o inusitado acontece. Atraída Atraída pela arte equestre, uma inglesa chega a Portugal com o sonho de aprender a tourear. Passa por Coruche e sem que o venha a saber torna-se o pretexto para que, 56 anos depois, se inaugure a exposição alusiva a “António Luiz Lopes: cavaleiro tauromáquico”, pai de Alberto, o marialva da história, e avô de Rafael Pena Monteiro. Neto que, por vontade sua, nos havia já confiado o depósito do respetivo acervo, bem como toda a informação recolhida e presente nesta exposição.

 

 

Dos ranchos de gente às máquinas de mil braços


A exposição de longa duração “Dos ranchos de gente às máquinas de mil braços: cultivar memórias, semear e aprender” regista as profundas alterações ocorridas nas paisagens do vale do Sorraia e as mudanças económicas, sociais e culturais vivenciadas pelas comunidades coruchenses durante o longo processo de mecanização da agricultura no território.

A ruralidade local está também representada no Centro de artes, ofícios e saberes tradicionais, onde se partilha o saber-fazer associado aos ofícios tradicionais, às atividades artesanais e à sabedoria popular tradicional expressa em práticas e rituais na comunidade.

 

 

Um quartel de memórias


A exposição temporária inaugural – Um quartel de memórias – presta simbolicamente homenagem aos bombeiros coruchenses, à história da corporação e ao quartel que agora acolhe o Núcleo Rural de Coruche – Centro de artes, ofícios e saberes tradicionais.

 

Atualizado em 04-07-2019